Novas funcionalidades do Google My Business: produtos, serviços e menus. Como utilizá-las? - Localoo

Há alguns meses, o Google vem apresentando aos poucos suas novas funcionalidades, que permitem aos consumidores saber o que está disponível no ponto de venda. As funcionalidades “Menu” e “Serviços” já existem há algum tempo na França (visíveis apenas em dispositivos móveis), mas a funcionalidade “Produtos” em beta surgiu no final de maio de 2019 na França, em alguns pontos de venda. É a chance de reforçar o universo de possibilidades no que se refere ao posicionamento local (e também os limites dessas funcionalidades).

Critérios de elegibilidade

Assim como os URLs secundários ou os atributos, a elegibilidade para essas funcionalidades avançadas do Google My Business (menus, serviços, produtos etc.) depende da categoria principal do estabelecimento. Para escolher as suas 10 categorias (principais e secundárias), você encontrará aqui algumas orientações e conselhos a serem seguidos.

Antes de mais nada, veja as elegibilidades por setor até o momento (elas podem evoluir):

  • Setores elegíveis aos serviços (cabeleireiros, estacionamentos, serviços pessoais, etc.)
  • Serviços elegíveis aos menus (restaurantes, bares etc.)
  • Setores elegíveis aos produtos em beta (vestuário, óticas, concessionárias de automóveis, floriculturas etc.)
  • Setores não incluídos por essas funcionalidades (farmácias, tabacarias etc.)

Quais são as diferenças em relação ao Google Posts?

Além desse contexto, lembre-se de que os critérios de elegibilidade do Google evoluem com muita rapidez. Aliás, é muito importante não confundir essas funcionalidades com as do Google Posts. Veja as principais diferenças:

  • O G-Posts não tem critérios de elegibilidade: a funcionalidade está disponível para todos os estabelecimentos (mesmo que esteja indisponível às marcas por API no momento)
  • O G-Posts é temporário (7 dias ou mais dependendo de alguns parâmetros), ao contrário dos menus, serviços e produtos 
  • O G-Posts destaca as novidades, o que, portanto, é muito mais amplo: produtos, fechamentos temporários, eventos, descontos, liquidações etc.
  • A estrutura do dado não é a mesma. Por exemplo, não é possível colocar preços no G-Posts fora da imagem 

Enquanto que o uso do G-Posts pressupõe uma regularidade; as funcionalidades de menus, serviços e produtos exigem dos gerentes dos estabelecimentos apenas atualizações em caso de mudanças de produtos. Assim, para alguns pontos de venda, é uma otimização que pode ser feita uma vez e não requer mais trabalho durante um tempo.

Uma funcionalidade “produto” que concorre com Local Inventory Ads (LIA)?

Para alguns setores, como vestuário ou supermercadista, é literalmente impossível atualizar todos os produtos diária e manualmente, sobretudo no caso de marcas com centenas ou até milhares de pontos de venda. A funcionalidade “produto” do Google é adaptada somente a estabelecimentos independentes ou cuja gama de produtos não é muito grande e muda pouco (lembre-se de que essa funcionalidade não está disponível por API nem por importação de arquivos do Excel). 

No entanto, para as marcas interessadas pela possibilidade de divulgar seus produtos em sua ficha, já existe outra solução: o Local Inventory Ads (LIA). Essa funcionalidade está disponível apenas para as marcas inscritas em um programa Google Shopping e que dispõem de um Merchant Center. É possível atrelá-la ao Google My Business para exibir automaticamente todos os produtos em estoque em cada loja (veja mais detalhes sobre essa funcionalidade). Obviamente, a funcionalidade “produto” não é cumulativa com o LIA, que continua sendo uma funcionalidade do Ads e, portanto, paga.

Quais são as aplicações para a minha rede?

Essas novas funcionalidades do Google oferecem várias aplicações, mas exigem um investimento muito importante: por exemplo, a atualização manual dos produtos demanda muito tempo. Recomendamos uma abordagem pragmática e, assim, estamos à sua disposição para conversar sobre esses pontos.

Por exemplo, se você é uma rede de concessionárias e, portanto, é elegível para essa nova funcionalidade do Google, deve estar se perguntando como informar manualmente todos os modelos de veículos que está vendendo (novos e usado) e, sobretudo, como atualizá-los de modo contínuo: se não estiver no Google Shopping, infelizmente não é possível. Aconselhamos apresentar de 4 a 5 categorias principais de produtos como mostrado abaixo e colocar links para as páginas do seu site para que os usuários possam ter acesso a mais informações com facilidade:

É evidente que preencher manualmente todas as informações de 3 a 4 produtos por estabelecimento no caso de uma rede importante já é um quebra-cabeças por si só. Aliás, é possível que essa nova funcionalidade não exista para sempre e desapareça em alguns meses, a critério do Google: por isso, é importante fazer as perguntas certas antes de se lançar em um projeto como esse.

“Apareça! ” com o Localoo

Sobre o Localoo: 

O Localoo aumenta a visibilidade em toda parte, o tempo todo, gerando até 7x mais contatos do que o seu site na Internet, aumentando seu tráfego web-to-store e melhorando a interação com os seus clientes por meio das avaliações.

Trabalhamos com 80.000 pontos de venda na Europa, como Carrefour, Starbucks, Toyota, Crédit Agricole etc.

Próximos artigos